Micro expressões: uma estratégia para agentes de compliance

A expressão facial é a forma mais básica e comum de expressão de emoções, sendo um dos meios de comunicação mais importante nas relações interpessoais, seja para obter a confirmação de expectativas ou a afirmação de determinados estados de espírito, espontâneos ou idealizados. O livro “A Linguagem das Emoções” de Paul Ekman” é uma ótima leitura se você se interessa por essa temática, pois destaca a importância das emoções expressadas pela linguagem facial com o contexto do assunto. Mas a pergunta é: você já se deu conta do poder das micro expressões para os agentes de compliance?

As micro expressões são expressões faciais rápidas e involuntárias, ligadas diretamente a pensamentos ou emoções. Normalmente, ocorrem quando a pessoa tenta ocultar ou reprimir determinadas emoções em situações de alta tensão, estresses constantes ou quando existe uma divergência entre o que sentimos e o que dizemos. O conhecimento sobre as micro expressões pode ser uma estratégia profissional para os agentes de compliance que atuam em entrevistas investigativas forenses, entrevistas de emprego, demissões, mediação de situações embaraçosas ou investigação corporativa em casos de suspeita de fraude, corrupção e assédio.

RH, você já pensou em se tornar um agente de compliance?

Se por um lado as pessoas conseguem fingir determinadas emoções, por outro, poucas atingem sucesso ao fingir ou tentar esconder as micro expressões. Devido à característica de ser involuntárias, é muito difícil movimentar e controlar determinados músculos faciais para ocultar ou minimizá-las.

Micro expressões: sua origem e importância nas relações

O estudo das expressões faciais começou com Guillaume Duchenne por meio da diferenciação entre o sorriso falso e o verdadeiro em 1840. O sorriso genuíno até hoje é conhecido como o sorriso de Duchenne e o falso é considerado um dos mais comuns indicadores de mentira. Observe a imagem abaixo:

A) Sorriso Falso B) Sorriso verdadeiro

Enquanto o sorriso falso traciona somente o canto da boca em direção às orelhas, o sorriso verdadeiro movimenta diversas micro expressões, tais como:

  • Contração do nariz;
  • Rugas abaixo das pálpebras;
  • Levantamento de bochechas e;
  • Leve fechamento dos olhos.

Todos os movimentos acontecem simultaneamente e sincronizados, pois representam a verdade. Dificilmente, as pessoas terão poder sobre esses aspectos do seu próprio corpo, tornando-se ainda mais vulneráveis em casos de tensão emocional.

Charles Darwin também estudou sobre os sentimentos expressos na face.  Em seu livro “The expressions of the Emotions in Man and Animals” notou que pessoas de diferentes raças e culturas expressam da mesma forma os sentimentos, especialmente raiva e felicidade.

Sigmund Freud foi o primeiro a explorar a ideia de que a expressão dessas emoções básicas poderiam “trair” seu emissor e emitir sinais de contradições e mentiras nos relatos de seus pacientes.  Esse estudo é conhecido como “Freudians Slips”.

Paul Ekman, considerado o “pai moderno” das micro expressões, começou a estudá-las por coincidência. Seus estudos eram sobre movimentos do corpo, especificamente das mãos, no entanto, recebeu o convite do departamento de defesa dos Estados Unidos para estudar comportamento não verbal na Tailândia, pois um comandante casou com uma tailandesa e queria saber mais informações sobre sua cultura e comportamento.

Conheça as 8 expressões faciais básicas e universais:

Devido aos estudos na Tailândia, em comparativo com os demais estudos desenvolvidos em outros países, Ekman identificou 7 expressões faciais básicas e universais. Estas são conectadas ao nosso cérebro de forma que possamos tanto emiti-las quanto captá-las, independentemente da etnia ou cultura de quem exprime a emoção. São elas:

  • Raiva/Ira

  • Descaso/desprezo

  • Nojo

  • Medo

  • Tristeza

  • Surpresa/Espanto

  • Felicidade\Alegria

É importante destacar que, diferentemente das micro expressões, a linguagem não verbal/corporal está intimamente ligada à cultura de cada indivíduo, devido aos diversos fatores e significados que seu estilo de vida e tradições influenciam sobre seu comportamento.

Estudos recentes, incluíram uma oitava emoção nas expressões faciais básicas e universais: a vergonha, que pode ser analisada pelos olhos, que tendem a se desviar para baixo ou ainda pela cabeça, que se posiciona em direção à boca, franzindo a testa.

 

Agentes de compliance: entenda porque as micro expressões são estratégicas.

 

Enquanto consultoria de Compliance com foco na dimensão humana do risco, consideramos as micro expressões um elemento essencial e estratégico para identificar a integridade de cada pessoa quando exposta a dilemas éticos. Tanto em nosso Teste de Integridade (PIR – Potencial de Integridade Resiliente), quanto em nossos treinamentos, destacamos aos gestores e colaboradores a importância de levar em consideração os elementos humanos, desde sua história de vida ao seu perfil de comportamento.

Se as empresas não estiverem atentas a esses fatores, não conseguirão implantar um departamento de compliance efetivo, que de fato sirva para prevenir e predizer casos de fraude, corrupção e assédio. Por isso, é importante capacitar e desenvolver seus colaboradores que irão atuar como agentes de compliance, desde os processos que antecedem a contratação até o desligamento, seja de funcionários ou terceiros. E se você recém está começando a desenvolver o compliance em sua organização, o primeiro passo é aplicar uma pesquisa de cultura ética para investigar o cenário macro e micro ambiental que está interligado à sua empresa.

Se você quer mais informações sobre compliance, baixe gratuitamente o nosso eBook: “Como evitar a fraude em tempos de Lava Jato?” Você vai descobrir 10 razões que tornam colaboradores em fraudadores e ler o case de um dos nossos clientes, a empresa Localiza.

S2 Consultoria

A S2 desenvolve a Integridade Resiliente dos profissionais e organizações por meio de métodos empáticos e pragmáticos.

Todos os direitos reservados © S2 Consultoria

Share This