Fraude no voluntariado: um paradoxo?

O voluntariado é comumente associado à ideia de altruísmo, solidariedade, fraternidade e abnegação. A associação a valores, quase que extintos na sociedade contemporânea, faz com que não se questione os impactos dessa forma de atuação, considerando-o, dogmaticamente, como produtor de efeitos, exclusivamente positivos e, caracterizando os que desempenham esse trabalho como pessoas, inquestionavelmente, altruístas e solidários. O objetivo deste trabalho é refletir sobre aspectos que podem consubstanciar riscos de fraudes no trabalho voluntário. Os dados da pesquisa apontam para insignificantes diferenças entre as percepções de profissionais que praticam voluntariamente ações sociais e os que não o fazem, quando do enfrentamento de dilemas éticos, indicando que cabe às organizações a busca constante por ferramentas de compliance. Para download CLIQUE AQUI.

(autores: SANTOS, R.A., JUNQUEIRA, L.) – VII EnEO/ ANPAD, 2012

S2 Consultoria

A S2 desenvolve a Integridade Resiliente dos profissionais e organizações por meio de métodos empáticos e pragmáticos.

Todos os direitos reservados © S2 Consultoria

Share This